No dia 3 de agosto, aconteceu, no auditório do 3º andar do Anexo 2 da Justiça Federal em Pernambuco, uma reunião com o supervisor responsável pelo Setor de Patrimônio, Rui Carlos Mendonça, com representantes de sete entidades filantrópicas com fins sociais, assim como da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Prefeitura Municipal de São Lourenço da Mata. Estava em pauta a doação de cinco lotes de materiais classificados como inservíveis para a JFPE, mas que podem ser úteis e necessários para as instituições presentes ao encontro.

Os materiais a serem doados eram equipamentos de Informática (como computadores, monitores, CPUs e estabilizadores incompatíveis com os atuais sistemas da Justiça Federal) e bens móveis, como estantes e armários.

Obedecendo aos procedimentos para doações, é dada prioridade a órgãos da Administração Pública. Desse modo, de início, os representantes da UFPE e da Prefeitura de São Lourenço da Mata escolheram um lote cada. De acordo com o Edital de Doações nº1/2011 (publicado 30 dias antes da reunião), os três lotes restantes deveriam ser sorteados entre as entidades filantrópicas presentes. Mas, os representantes das mesmas decidiram, de comum acordo após deliberação, dividir entre si os materiais e distribuí-los por igual para cada uma.

As entidades beneficiadas foram a Associação da 3ª Idade da Vila São Miguel de Afogados, Clube de Mães de Muribeca I, Conselho de Moradores de Tabatinga e Adjacências, Sociedade Cristã Assistencial da Várzea, Creche Comunitária Chão de Estrelas, Desafio Jovem do Recife e Missão Internacional da Paz. Para que essas instituições possam estar habilitadas para futuras doações, todas vão ter que apresentar, até o dia 30 de novembro, uma prestação de contas, mostrando como foi utilizado o material recebido.

A doação dos computadores foi feita em conformidade com o Decreto nº 99658/1990, que regulamenta, no âmbito da Administração Pública, o reaproveitamento, movimentação, alienação ou outras formas de se desfazer de materiais já descartados ou substituídos.

Marcelo Schmitz

Seção de Comunicação Social